domingo, junho 28

sonhos

foi-se a tarde, chega a noite dos sonhos perdidos.
sonho um de cada vez, vou perdendo um de cada vez.
esvaidos que vão sendo pela trajetória do corpo.
a noite ameniza os suores da tarde que passou,
mas quis ficar como uma tarde sonhada.

quarta-feira, junho 24

minha foto do jardim de inverno

todos tem aquela foto fundamental
de um jardim de inverno.
a representação de um tempo,
lugar
ou pessoa
que nos indica nosso próprio calor
a ventadas frias.

e de quando em quando,
voltamos a esta fotografia.
percebemos as qualidades do papel
e das químicas que imprimem a imagem.
uma pequena ação do tempo nos alenta
o quão longe se passou aquele instante.
mas nos arrebata de repente
as dores invernais que fizeram daquela foto de jardim
a foto de jardim de inverno.

depois, guardamos.
e esperamos novas estações
para confundirmos tantos invernos
àquele da fotografia.

e os invernos tiram nossas fotografias
para testemunhar nossas transformações
e ver o que ficou crivado em nossa pele
das suas outras irmãs estações.

domingo, junho 21

. o pequeno príncípe .

assistia a este desenho nas tardes depois da escola. imagina, já naquela época, a ciência das viagens interplanetárias. imaginava também o amor feito uma rosa que fazia desdém. os sonhos podiam ter sentido.

hoje, revendo no youtube, a memória se reinventa. se um dia eu quis ser um pequeno príncipe, não sei dizer. mas contar histórias é algo que sempre quis fazer.

. marcela .

você parece alguém que inventei das muitas pessoas que conheci.

aniversário II

dei-me 3 livros de aniversário: a morfologia do conto maravilhoso de propp; cordinheira de daniel galera e poemas de sylvia plath. fui assistir a "a partida" e respondi um e-mail inesperado.

tentei escrever uma canção, mas não encontrei palheta e não queria dedilhar.

já era tarde, quase outro dia, quando reparei que em meus olhos o outro dia já havia chegado.

aniversário

é uma piscada nos tempos de desaparecimento.

terça-feira, junho 16

. o amor .

lembro-me dela se perdendo absorta no mar
até que percebeu a imensidão dentro dela
e se voltou a quem afoga em si.

domingo, junho 14

. olhos .

às vezes penso em seus olhos,
como quem lembra de uma melodia:
eles atravessam o tempo dos meus sentidos
e na pronfudeza do azul, assovio.

quarta-feira, junho 3

patologia

é que algumas pessoas tem dificuldades para manter a palavra.
promessas somente das coisas que não virão.

terça-feira, junho 2

livro

encontrei um punhado de escritos que poderiam ter entrado no livro... mas acho que a capa está finalizada. em breve, posto.