sexta-feira, maio 20

Ciranda de Rosa para Tereza

(a partir de um tema popular de Pernambuco)

Ah, Tereza, o seu ombro é assim
porque servem para ter asas.
Ah, Tereza, você não veio para mim,
você não foi feita para ter casas.

Você foi feita de rosas claras,
com detalhes em espinhos que nega.
Você hesita e não despetala
e o vento passa e não te carrega.

E você sonha com seu bem querer
e não sabe que não há ciranda
que tome a mão e faça esquecer
a vida pétrea que não anda.

Te levo um tanto de flores
outro tanto de ventos
para que voem seus amores
e traga de volta momentos.

A rosa vermelha
É do bem querer
A rosa vermelha e branca
Hei de amar até morrer.

(meio tosco, mas se não eu esqueceria...)

Um comentário:

Luiza disse...

adoro qdo vc escreve sobre tereza....